Home / Uncategorized / Alckmin é acusado de favorecer empresas citadas na Lava-Jato

Alckmin é acusado de favorecer empresas citadas na Lava-Jato

Carlos Armando Paschoal, ex-diretor da Odebrecht, disse em delação premiada que acertou pessoalmente com Geraldo Alckmin (PSDB) o repasse, via caixa dois, de dois milhões para sua campanha a governador, ainda em 2010. O responsável por receber os recursos seria Adhemar Ribeiro, cunhado do tucano. Outro delator que citou Alckmin foi Arnaldo Cumplido, que falou em 10 milhões em doação via caixa dois.

Um terceiro delator e também executivo da Odebrecht, Benedicto Junior, também citou Alckimin, dizendo que a empreiteira esperava ser favorecida em contratos do Metrô e de saneamento. Junior fala em 8,3 milhões em caixa dois. As delações podem ser assistidas aqui.

Soma-se a isso a recente informação de que o governador de São Paulo estaria privilegiando algumas empresas citadas na Lava-Jato em obras públicas. Segundo matéria da Folha de S. Paulo:

O governo Geraldo Alckmin (PSDB) reforçou com recursos do Tesouro, no segundo semestre de 2016, o orçamento de obras em andamento em São Paulo tocadas por empreiteiras investigadas na Lava Jato, como Queiroz Galvão, Serveng, OAS, Camargo Corrêa e Odebrecht. Foram abertos créditos suplementares de R$ 985 milhões para a linha 5-lilás do Metrô, duas obras na rodovia dos Tamoios e o Rodoanel Norte (…) Os recursos suplementares vieram do Tesouro estadual e foram remanejados por decreto, retirados de outras áreas, o que mostra que essas obras foram priorizadas.

A EMTU (empresa de ônibus metropolitanos), por exemplo, perdeu recursos para as obras do metrô. A mesma EMTU que precisa de tanto investimento, que vemos ônibus quebrados prejudicando diariamente centenas de pessoas. Vale lembrar que essa mesma linha 5 do Metrô, além de receber o crédito suplementar, já é alvo de investigação por suposto cartel. As responsáveis pelas obras são Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão, Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa, todas sob investigação na Lava Jato.

As obras do metrô, assim como as obras de infraestrutura e mobilidade, são essenciais para o desenvolvimento do nosso estado, mas é necessário que todos os investimentos públicos, que tem como fonte nossos impostos, sejam realizados de maneira transparente e sem favorecer essa ou aquela empresa. Vamos acompanhar com atenção as investigações. Caso se comprove favorecimento ou qualquer outro tipo de ilegalidade, vamos cobrar a responsabilização dos envolvidos.

Check Also

IMG_5904

2017: um ano de muitas lutas, desafios e conquistas

2017 foi um ano difícil para o Brasil. O governo ilegítimo de Temer realizou uma …